domingo, 6 de novembro de 2011

Tudo a ver

Pergunta:

O que você faria
se não pudesse fazer nada?



(contribuição inquisitiva de Arthur Martin)

14 comentários:

Artes e escritas disse...

Deixava prá lá:))) Um abraço, Yayá.

Daniela Carvalho disse...

Eu iria orar. Quando não podemos fazer, Deus pode! E quando nos aquietamos é quando Deus começa a agir!

Marly Bastos disse...

Depende...
Quando "se não pudesse fazer nada" se tratasse de lida, eu faria nada!
Quando"se não pudesse fazer nada" referente a um problema que não é da minha alçada resolver, eu deixo nas mãos de Deus, pois Ele de alguma maneira encaminhará para que tudo seja resolvido.
Beijokas doces e uma semana abençoada.

Fátima disse...

Oi André,

Podemos não fazer nada por motivos de saúde, problemas alheios, etc. Mas esse não fazer nada, causa um vazio doentio, não nascemos para ficarmos inertes, o que eu faria seria lutar contra as doenças emocionais que com certeza viriam por estar me sentindo inútil.

Não dá pra pensar oba vou relaxar!! é oposto à natureza humana.

Beijo meu

mfc disse...

Deixava estar mesmo assim e ficava olhando deitado no sofá!!

Elisa T. Campos disse...

Pensando com meus botões.
Um haicai. rsrsrs

:.tossan® disse...

Continuaria a não fazer nada! Abraço

Berzé disse...

Ficaria andando por aí...blogueando.
Abração, andré!
Berzé

Helinha disse...

Eu chamaria alguém bem interessante pra fazer nada comigo... ou não fazer nada...

E aí, não vamos fazer nada juntos, não?

^^

Beijinhos!!

Andre Martin disse...

Gente, gente!

Ainda não entendo
como ninguém pensou
o que eu pensei
quando ouvi esta pergunta!...

Como posso nada fazer
se está dito que NÃO posso "fazer nada"??



É um "deadlock", beco sem saida!

Mesmo de mão e pés amarrados,
numa situação improvável
e sem alternativas,
"fazer NADA" não é permitido...
E o que fazer então???
Se fizer alguma coisa,
significa que alguma coisa
poderia ser feita,
mas a frase me coloca na condição
de nada poder fazer...

Ó dúvida cruel! (e infame!!!)

marciagrega disse...

CONTINUARIA FAZENDO NADA...

Cristiano Marcell disse...

Cancelaria todo o ócio de hoje para o dia seguinte e tiraria a tarde de folga!

Abraços!

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

Carla Fernanda disse...

Pensava, isso era o que restaria... já que pensar não é fazer; ou ainda, sentiria muito... é o que resta mesmo.
Isso dito em um domingo do Advento, deixa com certeza, uma esperança no ar.

Beijos!!