segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Sutil diferença

O Presidente de um Banco estava preocupado com um jovem e brilhante diretor que , depois de ter trabalhado durante algum tempo com ele , sem parar nem para almoçar , começou a ausentar-se ao meio-dia.

Então o Presidente chamou um detetive e disse-lhe: - Siga o Diretor Lopes por uma semana durante o horário do almoço.

O detetive , após cumprir o que lhe havia sido pedido , voltou e informou: - O Diretor Lopes sai normalmente ao meio-dia , pega o seu carro , vai à sua casa almoçar , faz amor com a sua mulher , fuma um dos seus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho.
Responde o Presidente: - Ah, bom , antes assim. Não há nada de mal nisso.

Logo em seguida o detetive pergunta: - Desculpe. Posso tratá-lo por tu?
- Sim, claro! - respondeu o Presidente surpreendido com a intimidade do sujeito.
- Bom, então vou repetir: o Diretor Lopes sai normalmente ao meio-dia, pega o TEU carro , vai à TUA casa almoçar , faz amor com a TUA mulher , fuma um dos TEUS excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho... Entendeste agora?

A Língua Portuguesa é mesmo fascinante, não? kkk

3 comentários:

iara-alencar disse...

Valei-me!!!
o cara é um chifrudo...

A Senhora disse...

Sim! kkkkkkkk E às vezes eu tenho que mudar toda uma frase por conta desse "seu/sua, teu/tua".

Andre Martin disse...

É o que eu digo: a intimidade é muito reveladora! kkkkkk