sábado, 18 de maio de 2013

Sim se Não


Se o "se" não fosse "se",
será que seria "senão" ?

Ou então, se o "senão" não existisse,
talvez fosse assim um "sessim" ?


3 comentários:

Helinha disse...

Hummm... Se(se)rá?

Lembrei-me do poema "Ai se sêsse"...

"Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse
a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse"

Eu só sei que esse tal de "se" é um danado que costuma acompanhar a gente pela vida afora, sempre com aquele pensamento de "o que seria se fosse?"...

Beijos!

Iara disse...

Se o se nao existisse seria outra coisa e nao seria senão porque senao ja existe.

simples assim.

Elisa T. Campos disse...

Sessim. Se assim não fosse eu sumiria.
Não sumi, viu?

Um grande abraço.